segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

25- O BOI E A ARTE - Picasso e o touro


Considerado por muitos como o maior artista do século XX, Pablo Picasso frequentemente usava o touro como tema de seus trabalhos.
Desde a infância desenhava a tourada. Sua primeira obra preservada, um óleo sobre madeira pintado aos oito anos, foi chamada O Toureiro. Picasso conservou este trabalho por toda sua vida, levando-o consigo sempre que mudava de casa.
Em 1945, iniciou uma série de onze litografias intitulada Touro (FOTO). Nesta seqüência de gravuras, todas extraídas de uma única pedra, Picasso disseca visualmente a figura de um touro buscando seu espírito através de uma forma essencial. É uma obra prima que desenvolve um trabalho artístico desde o estilo acadêmico até o abstrato. 
Picasso usou o touro como uma metáfora em várias obras. Dependendo do contexto, tem sido interpretado de diferentes formas: como uma representação do povo espanhol, como um comentário sobre o fascismo e a brutalidade, como um símbolo de virilidade ou como uma reflexão sobre sua própria imagem..
A série Touro é também uma alegoria do ciclo de vida e morte descrevendo estágios que vão ao apogeu da materialidade e daí ao extremo da sutileza do corpo do animal. Vemos o touro  ganhando volume e linhas de força que ressaltam o desenho de seus músculos até a terceira gravura. A partir da quarta gravura o artista vai tornando mais abstrata a estrutura simplificando sua anatomia, suavizando e reduzindo sua forma. O órgão reprodutor é ressaltado pelo tom mais escuro a partir da segunda até a penúltima gravura. Observe na foto acima.
A primeira gravura, como um esboço, insinua muitas possibilidades. Representaria a infância?
Na última gravura, Picasso retrata a essência, o espírito do animal. Representaria o estágio último da vida?

4 comentários:

  1. O que me chamou atencao foi a desconstrucao de uma imagem, no caso o boi. No inicio o desenho eh repleto de tracos, ou seja intenso. Ate que no ultimo desenho quase nao ha traco e nao ha cores tambem.
    Apenas um traco leve, um esboco.
    Uma leveza tal que qualquer crianca poderia perceber e reconhecer ali a existencia de um boi.
    Um traco puro sem perder sua natureza !

    ResponderExcluir
  2. Marilene Séllos enviou por e-mail,
    Hoje me encantei, mais uma vez,com as colocações extremamente enriquecedoras do seu blog. Apaixonada que sou por Picasso,amei ! sua capacidade de expressar a imagem do boi de formas, volumes diversos, até chegar a uma estrutura minimalista. Só respeitando o animal,pode-se re presentá-lo de forma tão expressiva.

    ResponderExcluir
  3. Aline Reis comentou no FACEBOOK:
    Metáfora em relação ao pensamento, porém em relaçâo à ordem do sensível (Artes plásticas) ele não precisava mais fazer o boi. O traço era a própria coisa, a tinta. Beijos

    ResponderExcluir
  4. Claire Sf, comentou no FACEBOOK:
    No segundo trabalho de hercules ele atravessa o mar montado no touro representando o domínio do corpo físico e da sexualidade.

    ResponderExcluir