segunda-feira, 29 de outubro de 2012

84- O minotauro dos trópicos, o boi de Ricardo Chacal


Quando leio as histórias contadas por Ricardo Chacal (1) em seu livro "Uma história à margem", a sensação que me dá é de que elas se passaram no centro do furacão dos acontecimentos daqueles anos. O termo "à margem" se justifica  porque elas foram movidas por um poder paralelo,  marginal em relação ao padronizado. Foram  histórias escritas na roda viva da vida  pela força bovina da imaginação de alguns poetas teimosos, remadores dionisíacos da contra-corrente.
O Minotauro (2) ressurgiu assim nos trópicos graças a Chacal, em agosto de 1999, como símbolo máximo do CEP 20.000, também chamado Centro de Experimentação Poética.  Acontecimento gerador de um verdadeiro movimento cultural no Rio  de Janeiro, mesclava várias gerações e tipos de linguagem, nas mais variadas experiências plásticas, poéticas e musicais.
O CEP 20.000 comemorava nove anos com nove noites de festa na  Casa França Brasil. O espaço da exposição, um labirinto montado no centro da imensa sala, foi dividido de última hora com a exposição de Jorge Luis Borges, vinda de São Paulo.
Inspirado pelo "grande escritor das sendas do imaginário" Chacal foi  às Casas Turuna, onde adquiriu a cabeçorra taurina de papier marchê. A cada sessão era anunciada a fera e o  Minotauro-Chacal saia do labirinto, assustando adultos e crianças! Foi o início de sete anos de muitos espetáculos em vários outros  palcos, "impérios da fantasia, da poesia e do imaginário".
O papier machê foi se desfazendo com o uso até que foi hora de acabar. E acabou no Carnaval!  O fim do bisão mitológico aqui no Brasil, se deu " na grande festa da paixão e do batuque".
O ritual aconteceu em 2006,  no Baixo Gavea, bairro onde Chacal nasceu e viveu várias vidas. Ao som da banda "Me beija que eu sou cineasta", a besta foi cremada. Virou fumaça que encheu de lágrimas os olhos dos músicos e  foliões que passavam.
"O Minotauro está morto! Viva o Minotauro!"

NOTA:
1) Mais sobre Ricardo Chacal ver postagem 83, "O ano do Boi nos palcos do Rio", deste blog.
2) Mais sobre o Minotauro ver postagens: 36, "O Boi na Grécia (parte 2 de 11), O mito do Minotauro; 37, "O Boi na Grécia (parte 3 de 11), O Minotauro e a Máscara do Touro" e 39, "O Boi na Grécia (parte 4 de 11), O Minotauro e a Coroa de Ariadne", deste blog.

Um comentário:

  1. deve ter sido muito especial. pena que perdi essa. valeu a postagem !

    ResponderExcluir